IGREJA SANTO ANTÔNIO

 

A comunidade da Baixada do Pimenta é antiga, reporta ao início de São José da Lagoa em virtude da implantação de várias fazendas, mas a região só virou povoado mais recentemente.

Nos anos de 1960, a construção da BR 381 e o desenvolvimento das cidades de Ipatinga, Timóteo e Coronel Fabriciano deram o primeiro impulso para o adensamento populacional do povoado. Em 1970, seu crescimento foi alavancado por um loteamento feito por Guido Lage Quintão, na parte baixa, próxima à BR 381, e em 1995, a Cia Vale do Rio Doce ocupou a parte alta. Outros progressos chegaram às redondezas, como a implantação da Nova Era Sílicon, a transferência das atividades da Vale do Rio Doce para Drumond Central e a instalação de um polo da CENIBRA.

Conseqüência deste desenvolvimento foi um loteamento desmembrando parte do Amaro, fazenda vizinha pertencente a Guido Quintão, abrindo possibilidade de aumentar legalmente o número de moradores. A partir de então o bairro foi denominado Baixada da Pimenta, visto a existência de inúmeras pimenteiras nativas na localidade.

No entanto, a história da Igreja de Santo Antônio só começou a acontecer com a chegada de Padre Leão, em 1981. Foi o seu trabalho nas periferias que incutiu nos fiéis a necessidade de se organizarem e, para isso, a primeira providência era construir um centro em que eles pudessem se reunir para discutir suas estratégias de vida.

A aquisição do terreno veio por intermédio do casal Raimundo Teodoro de Souza e sua esposa Dona Olinda Clara de Souza, moradores da comunidade que fizeram a doação de 190 m² e venderam outros 70m².

A construção da igreja, sob a liderança do Sr Raimundo e D. Olinda, foi rápida devido à ajuda dos moradores e também de vizinhos interessados em promover o bairro.

Houve barraquinhas, bingo, leilão e trabalhos em mutirão. Alguns fazendeiros doavam animais: bezerros, porcos e até ovos de galinha caipira eram leiloados aqui para ajudar a construir a pequena capela.

Dentre todos os benfeitores, foram citados: Raimunda Lucas de Paula e Antônio de Paula, Aristarco de Araújo, Tarcísio encarregado da Vale, D. Maria Correia, Marquinhos, Dirlene, Kelly, D. Mariquinha.

O altar foi doado por Jacinto e Gilberto Thomás Martins da Costa.

Os bancos foram adquiridos pela comunidade.

A devoção das pessoas determinou Santo Antônio como protetor da comunidade e a imagem introduzida foi doação de D. Ana Gomes. Como ela organizava romarias a Aparecida do Norte, prometeu à comunidade que traria de lá a imagem tão logo a igreja fosse construída. A inauguração oficial se deu em 15 de abril de 1983, com celebração de Padre Virgílio, pároco da cidade que manteve fortes vínculos com as pessoas daqui por muitos anos.

Depois Ilma Brandi doou outra imagem, menor, que ela usava num andorzinho carregado por crianças caracterizadas como Santo Antônio, os “antoninhos”, na procissão de encerramento da novena.

D. Maria Luiza foi a 1ª catequista, trabalhando sozinha por muito tempo com a preparação para a Crisma e a Primeira Eucaristia. Depois apareceram mais catequistas como Dona Maria da Penha Correia e Olinda Clara de Souza. Hoje o senhor Divino atua como Ministro da Eucaristia e é grande a participação de jovens na vida da igreja.

Fonte: D. Maria Luiza de Almeida / D. Olinda Clara de Souza / Luiza Aparecida Teixeira

 

 

 

 
 
 
 
 
 

Paróquia de São José da Lagoa

Diocese de Itabira - Coronel Fabriciano

Rua Gustavo Lage; nº 40; Bairro Centenário, Nova Era - MG
www.paroquiasaojosedalagoa.com.br


A Paróquia     -     Agenda     -     Notícias     -     Fotos     -     Liturgia     -     O Paroquiano     -     Contato