IGREJA MATRIZ SÃO JOSÉ


Manjai página 64 Dr. Batista – 1950 1971

Adro 57

Serra 1954 e 1953

São José 1978

Igreja Matriz (resumo)

A construção da Igreja Matriz São José teve início por volta de 1750. Sua exuberante decoração em ouro, além de um rico conjunto de talhas e pnturas que documentam a passagem do estilo barroco ´para o rococó, é original dos séculos XVIII e XIX e tem a participação do artista Francisco vieira Servas. O conjunto arquitetônico e paisagístico formado pela igreja e pela praça teve reconhecido a sua importância histórico-cultural através do tombamento do SPHAN, respectivamente em 17/03/1953 e 17/12/1973 (Revista DE Fato – Ano XI – Nº 126 – junho de 2003

Foto de 1925

Para ser arraial que se preze, urgente é dedicar desde cedo uma capela ao santo protetor. Não podia ser outro: São José, aquele que providencialmente, num remoto 19 de março, ofereceu aos bandeirantes sedentos uma lagoa de água potável e refrescante, como a sugerir-lhes que se aportassem e aqui fixassem uma comunidade ancorada na fé.

Assim surgiu, primeiro, a lagoa de são José e, mais tarde, o arraial de são José da Lagoa ou das Alagoas. A nossa matriz surgiu primeiro como capela, bem cedo. Em 1750 já era capela curada da freguesia de São Miguel do Piracicaba. Quando foi elevada a paróquia, em 1848, já havia passado a pertencer a Antônio Dias. Esta capela foi reconstruída, nas terras que “para maior honra do serviço de Deus, foram doadas ao Glorioso Patriarca São José, através de escritura pública lavrada em 3 de setembro de 1754 para construir o patrimônio de sua nova capela”. E a “Capela Nova foi edificada pelos moradores do lugar”. Esse patrimônio foi doado por Domingos Francisco Cruz, morador da fazenda da Passagem.

A matriz que hoje se vê é bem diferente da capela original. Foram os irmãos Martins da Costa que construíram a Capela-mor e a nave central. As naves laterais foram acrescentadas posteriormente.

O são José evocado pelos nossos ancestrais é um pai preocupado em proteger sua família ameaçada de morte pelos poderosos da época. Por isso, no teto, vemos a pintura da fuga da Sagrada Família para o Egito. A imagem do padroeiro, por isso, foi identificada com os bandeirantes que também empreendiam grandes caminhadas rumo ao desconhecido. As botas do nosso são José são as marcas do caminheiro bandeirante em contínuo avançar de São Paulo de Piratininga para o sertão cada vez mais interior.

O tombamento individual da Igreja Matriz de São José da Lagoa foi efetivado em 17 de março de 1953.

 

 
 
 
 
 
 

Paróquia de São José da Lagoa

Diocese de Itabira - Coronel Fabriciano

Rua Gustavo Lage; nº 40; Bairro Centenário, Nova Era - MG
www.paroquiasaojosedalagoa.com.br


A Paróquia     -     Agenda     -     Notícias     -     Fotos     -     Liturgia     -     O Paroquiano     -     Contato