Notícias

 

 
Artigo
04/04/2015

Descoberta uma sinagoga onde Jesus pregou

Situada em Magdala, perto de Cafarnaum, a sinagoga pode ter sido destruída pelos romanos no ano 67 d.C.

Aleteia


Em Israel, cavar um pouco o solo muitas vezes já é suficiente para descobrir algo do passado e do Evangelho. Foi o que aconteceu em 2013 com o Pe. Eamon Kelly durante as obras para construir o Centro Magdala, no mesmo lugar em que Jesus de Nazaré passou grande parte da sua vida pública.

Ao comprar estas terras, ao oeste do Lago da Galileia, ele nem sonhava que descobriria uma sinagoga da época de Jesus, na qual Ele muito provavelmente pregou.

Segundo os arqueólogos, a sinagoga de Magdala, agora uma das sete mais antigas conhecidas em Israel, teria sido destruída pelos romanos no ano 67 ou 68 depois de Cristo.

Em uma das sete pedras tirada de lá, está gravada a menorah (candelabro de sete braços) mais antiga descoberta no mundo.

“Cerca de 80% da vida pública de Jesus se desenvolveu por aqui – explica o Pe. Kelly. Segundo os arqueólogos, cavamos no lugar de uma cidade inteira do século I.”

O nome desta cidade é conhecido no mundo inteiro porque o mais provável é que seja a cidade de origem de Maria Madalena.

Magdala se encontra, de fato, a poucos quilômetros ao sul de Cafarnaum – a cidade de pescadores na qual Jesus se encontrou com Simão Pedro.

Situada na Via Maria, a antiga rota comercial no caminho do Egito e da Síria, esta seria, naquela época, a única cidade ao oeste do Lago da Galileia.

“Quando se vai de Nazaré a Betsaida e Cafarnaum, passa-se inevitavelmente por ela – explica o sacerdote. Se um rabino estrangeiro chegava à cidade, era lá que ele pregava.”

Os lugares, importantes tanto para os judeus quanto para os cristãos, estão sendo mais valorizados agora, com a construção do Centro Magdala. Já foram visitados por mais de cinco mil peregrinos.






Fonte: aleteia.org

 

:: Voltar ::

 
 
 

Paróquia de São José da Lagoa

Diocese de Itabira - Coronel Fabriciano
Nova Era - MG