Notícias

 

 
Notícia
21/04/2015

Arcebispo de Brasília, Dom Sérgio da Rocha, é eleito presidente da CNBB



Silvonei José


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tem um novo presidente, é Dom Sergio da Rocha, Arcebispo de Brasília, eleito com 215 votos na primeira votação, mais de dois terços dos votos.

Dom Sergio da Rocha nasceu em Dobrada, no Estado de S. Paulo, aos 17/10/1959, filho de Rubens (+ 2000) e Aparecida Veronezi da Rocha.

Foi ordenado diácono na Igreja de Santa Cruz de Matão - SP, aos 18/8/1984, e presbítero na Matriz do Senhor Bom Jesus de Matão - SP, Diocese de São Carlos, aos 14/12/1984.

Estudou Filosofia no Seminário de São Carlos - SP e Teologia na PUC de Campinas - SP. Licenciado em Filosofia pela Faculdade Salesiana de Lorena - SP. Fez Mestrado em Teologia Moral pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo, e obteve o Doutorado na Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma, aos 21/01/1997.

Foi nomeado, pelo Papa João Paulo II, Bispo Auxiliar de Fortaleza, Ceará, e Titular de Alba aos 13/06/2001. Foi ordenado Bispo aos 11 de agosto de 2001, na Catedral de S. Carlos - SP, tendo como Bispos ordenantes D. José Antônio Aparecido Tosi Marques, D. Joviano de Lima Júnior e D. Bruno Gamberini. Aos 31 de janeiro de 2007, foi nomeado pelo Papa Bento XVI Arcebispo Coadjutor da Arquidiocese de Teresina. Dom Sérgio da Rocha iniciou seu trabalho na Arquidiocese de Teresina, como Arcebispo Coadjutor no dia 30/03/2007 e como Arcebispo Metropolitano em 03/09/2008. Aos 15 de junho de 2011 foi nomeado, pelo Papa Bento XVI, Arcebispo Metropolitano de Brasília, tendo sido acolhido na Catedral Metropolitana de Brasília aos 06 de agosto de 2011.

Seu lema episcopal é: “Omnia in Caritate" (1Cor 16,14) – “Tudo na caridade”

O sexto dia de atividades teve início com a celebração da missa em Ação de Graças pelos bispos falecidos nos últimos meses deste ano. Foi presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), Cardeal Orani João Tempesta, e concelebrada pelo Arcebispo de Cascavel (PR), Dom Mauro Aparecido dos Santos, e pelo Bispo de Roraima, Dom Roque Paloschi.

No final de semana tivemos o retiro espiritual pregado pelo Arcebispo de Mariana, MG, Dom Geraldo Lyrio Rocha. No sábado de manhã, antes do início do Retiro na parte da tarde, na conclusão dos trabalhos tivemos a aprovação final das emendas do texto do tema central desta Assembleia que trata das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, para os próximos 4 anos.

Nesta segunda-feira como dissemos iniciaram-se com as eleições para a Presidência da CNBB, composta pelo presidente, vice-presidente e secretário geral. Também serão eleitos os presidentes das dozes Comissões Episcopais Pastorais e os delegados da CNBB para o Conselho Episcopal Latino Americano (Celam) e para a 14 ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro deste ano, no Vaticano.

Na primeira sessão da manhã, às 9h15, houve a abertura do Processo Eleitoral, momento em que foi explicado o Sistema de Votação, o funcionamento das urnas e os procedimentos das eleições na CNBB.

Ainda, durante a manhã, o episcopado refletiu sobre a “obrigatoriedade do matrimônio civil”. Também hoje está prevista a apresentação da primeira versão do texto “Pensando o Brasil: a desigualdade”.

As sessões da tarde serão intercaladas entre as sessões de trabalhos, com previsão de cinco votações.

Entenda como ocorre o processo

As eleições para os cargos de presidente, vice-presidente, secretário geral, presidentes das doze comissões episcopais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciaram-se nesta segunda-feira, 20 de abril, ainda pela manhã. Também serão escolhidos os delegados que representarão a CNBB junto ao Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) e à 14 Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, que ocorrerá em outubro, no Vaticano.

As eleições podem prosseguir até o dia 23 de abril e seguem normas específicas do Estatuto Canônico da CNBB. Podem votar somente os membros efetivos da Conferência dos Bispos, ou seja, os bispos diocesanos e coadjutores, bispos auxiliares, bispos titulares que exerçam um ofício especial, confiado pela Santa Sé ou pela CNBB, além dos prelados das Igrejas orientais católicas. De acordo com dados da Conferência, do mês de abril, há 313 bispos na ativa, incluindo os cardeais e arcebispos.

Os bispos eméritos somam cerca de 140, mas não têm direito a voto e também não podem ser votados para cargos da CNBB, assim como os bispos recém nomeados que ainda não tomaram posse e que, portanto, ainda não são membros da Conferência.

Conforme o Estatuto Canônico, o voto é secreto e direto. Na contagem dos votos são consideradas as abstenções e votos nulos, a fim de calcular o número de votantes, respeitando a maioria exigida. A Assembleia só poderá deliberar ou eleger, se estiver presente a maioria absoluta dos membros. Todos os bispos da Conferência poderão ser votados, exceto os eméritos. O mandato tem duração de quatro anos, sendo permitida uma única reeleição consecutiva para o mesmo cargo. Ao serem eleitos, os bispos irão exercer os cargos para os quais foram designados, porém continuam em suas arqui(dioceses).

As eleições para cada cargo ocorrerão em votações separadas. A primeira eleição é para presidente, depois vice-presidente e, posteriormente para secretário-geral da CNBB, considerando a maioria de dois terços dos votantes, no primeiro e segundo escrutínio; e por maioria absoluta dos votantes, no terceiro ou quarto escrutínio. Caso seja necessário, se fará o quinto e último escrutínio entre os dois candidatos mais votados no segundo escrutínio.

Comissões Episcopais

Os presidentes das 12 Comissões Episcopais Pastorais são eleitos por maioria absoluta dos votantes, no primeiro ou segundo escrutínio. Caso não haja um nome escolhido, haverá o terceiro e último escrutínio entre os candidatos mais votados no segundo escrutínio. A eleição dos delegados e suplentes da CNBB junto ao Celam e no Sínodo dos Bispos sobre a Família segue as normas aplicadas às eleições dos presidentes das Comissões Episcopais.

Quem pode ser eleito

Para os cargos de presidente e vice-presidente da CNBB poderá ser eleito somente bispo diocesano. Já o cargo de secretário-geral deve ser ocupado por um bispo.

Sobre a importância das eleições nós conversamos com o Primaz do Brasil, Arcebispo de Salvador (BA), Dom Murillo Krieger...

A cerimônia de posse da nova Presidência e dos presidentes das Comissões Episcopais ocorrerá na sexta-feira, 24, às 10h30, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho. O evento será aberto à imprensa.

Atividades

Ainda no sábado houve a exposição das atividades de preparação para o Jubileu dos 300 anos do Encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Em seguida, apresentação do projeto “300 anos de Bênçãos: com a Mãe Aparecida, Juventude em Missão”, articulado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB. Na noite entre sábado e domingo realizou-se no Santuário Nacional uma Vigília de Oração com a presença de mais 2.000 jovens do Brasil inteiro. A Vigília teve início às 23 horas e se encerrou às 6 da manhã com a Adoração ao Santíssimo.

Às 11 horas a procissão da juventude com os bispos da CNBB levando a imagem de Nossa Senhora Aparecida até a Basílica para a Santa Missa de envio. A celebração concluiu também o retiro espiritual dos bispos.








Fonte: br.radiovaticana.va

 

:: Voltar ::

 
 
 

Paróquia de São José da Lagoa

Diocese de Itabira - Coronel Fabriciano
Nova Era - MG