Notícias

 

 
Artigo
15/12/2015

Justiça? Misericórdia!



Padre Eugênio Lima


“Agora nós vemos num espelho, confusamente; mas, então, veremos face a face”. (1 Cor 13)

“Pois eu sei que o meu redentor está vivo e que, no fim, se levantará sobre o pó; e, depois que tiverem arrancado esta minha pele, sem minha carne, verei a Deus. Eu mesmo o verei, meus olhos o contemplarão, e não um estranho”. (Jó 19, 28-27)

Agora vemos a Deus como encoberto por um véu. Ou melhor, sentimos a presença de Deus. Fazemos as mais variadas experiências de Sua presença.

A experiência que fazemos de Deus está muitas vezes impregnada e até manchada pelas “imagens” de Deus que nos transmitiram desde a nossa infância, e até as “imagens” de Deus experimentadas pela nossa mãe quando ainda estávamos sendo formados em sua mente.

Alguns fazem uma verdadeira experiência de Deus e se libertam de tudo e até das ideias de Deus transmitidas pelos pregadores. Você pode saber tudo que os outros dizem sobre uma fruta, seu sabor, suas qualidades terapêuticas, seu poder nutritivo, sua textura, seu cheiro, mas o seu sabor, precisa ser experimentado por você. Você precisa comer a fruta para saber seu gosto. Você precisa encontrar Deus, deixar-se encontrar por Ele, experimentá-lo para sentir seu gosto, saber quem Ele é, e então irá perceber que Deus está muito além de tudo que Dele se falou, ensinou, que Ele é muito melhor do que todas as “imagens” que te apresentaram.

Quando nos esvaziarmos de todo orgulho, e vaidade, quando nos despojarmos de nossa “pele”, quando tirarmos a trave dos nossos olhos, então veremos a Deus, encontraremos Deus e tudo o mais perde o sentido e iremos dizer: “ Só Deus basta”. Só Deus e nada mais. Então veremos envolvidos, abraçados por sua ternura, misericórdia e olharemos o mundo e as pessoas com o olhar de Deus, terno e misericordioso. “Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.” (Lc, 6,36)

Quem encontra Deus e experimenta de maneira concreta a sua ternura / misericórdia, se sente impelido a ser misericordioso com os outros.

Quando tomamos consciência de nossos pecados e experimentamos como Deus é Bom não nos tratando como merecemos, então vemos que Ele não é justo, como nós entendemos o conceito de justiça, Ele é misericordioso! Quando Filipe pediu para que Jesus mostrasse o Pai, respondeu: “Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não conheces? Quem me viu, tem visto o Pai” (Jo 14, 9)

“Eu e o Pai somos um.” (Jo 10,30)

O rosto da misericórdia, este é o lema do Jubileu Extraordinário da Misericórdia que inicia no dia 08/12.

Jesus é o rosto do Pai. Jesus é a revelação do rosto misericordioso de Deus. “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo não para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.” (Jo 13, 16-17).

Jesus é o rosto amoroso do Pai que quer a salvação de todos e por isso usa mais misericórdia do que justiça em relação a nós.


Somos filhos da misericórdia!

Existimos como frutos da misericórdia de Deus

Nos movemos, comemos, pela misericórdia de Deus!

Deus é bom! Deus é muito bom! Deus é misericordioso!

Eterna é a sua misericórdia! Sejamos misericordiosos uns com os outros!



Pe. Eugênio Ferreira de Lima, CR

 

:: Voltar ::

 
 
 

Paróquia de São José da Lagoa

Diocese de Itabira - Coronel Fabriciano
Nova Era - MG